Você está aqui // Educação, Municipal // MOÇÃO DE REPÚDIO

MOÇÃO DE REPÚDIO

Recife, 06 de outubro de 2015.

 

O Junho 2013 trouxe à tona novamente o protagonismo da classe trabalhadora, dos movimentos sociais, da juventude e do povo brasileiro, que diante da perspectiva frustrada, de terem atendidas suas reivindicações mínimas, souberam buscar, na sua história, a experiência da mobilização do movimento de massas para enfrentar o grande problema da economia mundial e, em particular, do Brasil. A exploração do sistema de produção capitalista, que para manter a margem de lucro do grande capital, retira e precariza os direitos e a possibilidade de bem estar social da população, atingindo de forma mais dramática os setores mais explorados, como a população negra, as mulheres e a juventude. E, para barrar a inquietação, organização e movimentação dos diversos setores organizados da população, os governos de plantão reprimem e criminalizam aqueles que estão nas frentes de lutas dos sindicatos, movimentos sociais e entidades estudantis.

 

Não é a toa, que no mês de setembro de 2015, ficamos sabendo, da atitude arbitrária e antidemocrática, do governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) na tentativa de cercear e fazer recuar a mobilização dos policiais civis suspendeu disciplinarmente o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Estado, Áureo Cisneiros. Infelizmente, uma prática recorrente. O mesmo governador neste momento também abriu um processo contra o professor e cientista político da UFPE Michel Zaidan.

 

Resta lembrar que tais atitudes ocorrem justamente num momento em que os trabalhadores e a juventude procuram se organizar para barrar os pacotes dos governos federais, estaduais e municipais. A postura do governador Paulo Câmara diante dos movimentos sociais, entidades sindicais movimento estudantil e pessoas públicas é uma completa afronta ao princípio constitucional de liberdade de manifestação, reunião e organização política e mostra o alinhamento do governo do estado com os governos federal e municipal na campanha ideológica e política de criminalização dos movimentos sociais.

 

Diante de todos esses fatos e relatos, a Diretoria Colegiada do SIMPERE expressa veemendemente REPÚDIO à prática repressiva do Governador Paulo Câmara e leva sua solidariedade ao companheiro de lutas Áureo Cisneiros – presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco.

 

 

 

 

 

DIRETORIA COLEGIADA DO SIMPERE

Deixe o seu comentário

Copyright © 2018 SIMPERE.org. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Ítalo Barboza em parceria com a Piquete. Gerenciado pelo Wordpress.