Você está aqui // Sem categoria // Plenária de coordenadores pedagógicos debate importância do dia 25 e as pautas para reunião com prefeitura

Plenária de coordenadores pedagógicos debate importância do dia 25 e as pautas para reunião com prefeitura

As/os coordenadores e coordenadoras pedagógicas se reuniram na manhã desta quarta-feira, dia 22 de Novembro, para debater a importância da paralisação nacional contra os ataques do governo Temer, que ocorrerá no próximo dia 25 de Norte a Sul do país; bem como para discutir as pautas específicas desta função nas unidades educacionais. Segunda-feira, dia 28, ocorrerá uma reunião com Renata Jatobá e demais representantes da PCR no sentido de debater as demandas emergenciais – tais como a normativa nº 03, acúmulo de função, oficialização da comissão de coordenadoras e coordenadores e continuação da luta sobre carga horária.
“Lutar e paralisar as atividades no dia 25 é lutar contra Geraldo Julio!”, falou Claudia Ribeiro, coordenadora do SIMPERE e da CSP Conlutas. A importância de se enfrentar com os ataques que o governo Federal vem implementando é tamanha, pois estes se rebatem diretamente sobre o nosso dia dia enquanto trabalhadores da educação e contam com o entusiasmo e apoio de Geraldo Julio. Não é demais lembrar que o PSB votou a favor da PEC 55 (ex-241), conhecida popularmente como “PEC da morte”, que se aprovada, deverá congelar por 20 anos o investimento nas áreas sociais, bem como congelar salários e atacar os direitos. É fundamental que os/as  coordenadores tomem a posição pela paralisação e fortaleçam o debate nas escolas para que façamos um dia 25 de muita luta e resistência, demonstrando a força que tem os trabalhadores da educação junto às demais categorias.
Houve um amplo debate sobre as pautas das/os coordenadores pedagógicos, no sentido de preparar e discutir amplamente as pautas que serão apresentadas em reunião com a prefeitura na próxima segunda-feira. A normativa nº3 que foi congelada em fevereiro, reaparece com possibilidade de aprovação neste fim de ano e pode significar um duro ataque a autonomia pedagógica e aos direitos e funções da coordenação pedagógica. Além da necessidade de rechaçar esta normativa, também foi apresentada a importância de garantir a oficialização da comissão no Diário Oficial, tensionar a PCR para que os coordenadores não exerçam funções alheias às suas – tais como as da administração- e que tenham garantidas as condições necessárias de trabalho; ainda foi ressaltada a importância de seguir discutindo a ampliação da carga horária.
Em havendo a reunião, será convocada uma nova plenária para que todas e todos possam decidir sobre a continuidade desta luta.

Deixe o seu comentário

Copyright © 2018 SIMPERE.org. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Ítalo Barboza em parceria com a Piquete. Gerenciado pelo Wordpress.